20 FORMAS DE GANHAR DINHEIRO COM VÍDEOS

Você deve estar se perguntando: Quando eu vou ganhar dinheiro com conteúdo?

O objetivo desse curso é ressaltar que o conteúdo é sempre o mais importante. O conteúdo é quem vai fazer com que você aumente a sua audiência, consequentemente, o dinheiro virá.

O objetivo aqui é expandir sua mente, mostrar como as pessoas que vivem de vídeo de internet têm feito dinheiro. De que forma o dinheiro está entrando na vida delas.

Vou te passar agora 20 dicas de como conseguir dinheiro honestamente, criando conteúdo de vídeos para internet.


1- PRODUTOS FÍSICOS

Venda os seus produtos físicos, abra um e-commerce ou faça vendas pelo Instagram ou WhatsApp. Um exemplo de pessoas que vendem o produto físico é o Jovem Nerd.

O Jovem Nerd tem um canal no YouTube e é por lá que ele produz seu conteúdo de vídeo principal, ele conversa diretamente com o público nerd/geek e vende camisas, canecas, quadros, posters, e outros produtos pela loja dele, a Nerd Store. Uma das estratégias dele é produzir conteúdo de entretenimento para manter a audiência fiel, gerando cada vez mais engajamento e relevância para vender os produtos físicos de sua loja. Se você não possuir produtos físicos e mesmo assim quiser entrar neste mercado, faça uma busca no Google dos seguintes termos: Private Label , White Label, Dropshipping.


2- MARKETING DE AFILIADOS

A segunda forma de lucrar que tem ganhado força e crescido cada vez mais no Brasil é ser afiliado de um ou de vários produtos na internet. É basicamente assim que funciona: você pede a algumas empresas ou pessoas que vendem produtos na internet para ser afiliado delas. Daí você vende os produtos delas e ganha uma comissão em cima de cada venda. Isso ocorre tanto para empresas que trabalham com produtos físicos quanto para pessoas ou empresas que vendem infoprodutos. Vou te dar dois exemplos: O primeiro é da empresa que trabalha com produto físico.

O “LAMETRIC TIME” é um reloginho smart que eu tenho - que fica na parede, atrás da mesa onde gravo os meus vídeos – o relógio smart fica sempre à mostra, aparecendo, nos meus vídeos do canal do Youtube, no Facebook e no Instagram. O Relógio “diferentão” acabou chamando a atenção da minha audiência. As pessoas começaram a me perguntar onde eu comprei o relógio, qual era o nome, etc... Foi então que eu entrei em contato com a empresa que produz o relógio, por e-mail, explicando toda a minha situação e eles me mandaram um link de afiliado. Resumindo: Eu recebia um valor em dinheiro de cada pessoa que comprasse o relógio com meu link. Não era um produto muito acessível, porque era caro, mesmo assim consegui vender alguns relógios.

O segundo exemplo é o meu curso de conteúdo. O que você comprou para ter acesso a este material. Você pode ser meu afiliado pelo Hotmart se quiser!

Uma vez que você se afilia ao meu produto é só você mostrar o seu link para as pessoas que têm interesse nesse tipo de conteúdo e, se elas se interessarem e comprarem, você ganha uma comissão pela sua venda, que será depositada na sua conta bancária.


3- FORME PARCERIAS

A parceria não visa somente o dinheiro, ela também abre portas para outras oportunidades. Quando você é parceiro de verdade de alguém ou de uma empresa, e não olha para o dinheiro que essa empresa ou essa pessoa tem, e trata com amizade ou até mesmo como uma troca de serviço, você tem a rede, a network toda dos seus parceiros jogando ao seu favor, e isso pode abrir algumas portas para negócios futuros. Toda vez que seus parceiros se depararem com alguma situação em que possam te recomendar, eles vão recomendar o seu serviço.

Para manter uma parceria saudável, você também deve fazer o mesmo para o seu círculo de amizades.

O interessante neste processo é formar uma nova rede de contatos, uma nova network para o seu negócio.


4- PUBLICIDADE E PROPAGANDA

É quando você finalmente recebe aquele e-mail da marca que você tanto ama, dizendo: “olha, a gente te notou e quer te patrocinar! Vamos mandar um dinheiro para você fazer uma publicidade para a nossa marca. Vamos combinar uma forma de fazermos juntos uma propaganda bem legal onde a nossa marca vai aparecer nas suas mídias sociais”

Geralmente quando isso acontece, você já está num nível mais avançado como produtor de conteúdo, entretanto, muitas empresas já começaram a experimentar os influenciadores menores, mais baratos, que têm um alcance menor do que os grandes influenciadores do mercado. Esse modelo é chamado de Marketing com microinfluenciadores.

Os microinfluenciadores têm trazido bastante resultado para algumas marcas, porque o público que os assiste se identifica muito mais com aquela vida mais comum e simples de uma pessoa real do que com uma vida luxuosa de uma celebridade.

Quando você chegar na casa dos 50 mil / 100 mil seguidores, você já pode se considerar um microinfluenciador.

Nessa fase você já pode procurar uma marca pequena para fazer anúncios no seu canal, página ou perfil, pois é provável que a sua influência já dê algum resultado para o anunciante, por um preço acessível e justo para ele.

Precifique corretamente que o anunciante vem!

Esse momento vai chegar para você, se tiver um bom conteúdo.


5- LUCRANDO COM A SUA AUTORIDADE

Existem várias formas de se gerar autoridade na internet:

Promovendo suas palestras

Escrevendo livros/ebook

Sendo relevante para as pessoas em certos assuntos,

Fazendo colabs com pessoas importantes...


Entretanto, só ter autoridade não é o suficiente para fazer dinheiro.

Vou exemplificar usando o corpo humano como metáfora:

O esqueleto : Seria todas as plataformas que vão te dar o suporte estrutural para crescer: Seu site, seu blog, Youtube, Facebook, Tiktok, Hotmart, Instagram, Twitter, Vimeo... Ou qualquer outra que venha surgir depois.

O cérebro: seria sua estratégia de vendas, seus planejamentos de produção de conteúdo, planejamentos para alcançar o público alvo, toda a sua parte que envolve o pensamento e não a ação.

Os músculos: Seriam sua determinação, sua força de vontade de fazer acontecer, seu esforço de aprender mais sempre, seu objetivo de melhorar cada vez mais... São eles que fazem o corpo se mexer.

A pele: Seria o resultado final do seu conteúdo. Será o que as pessoas estarão vendo de fato.

E as roupas que vestem a pele: Seriam a sua autoridade, que é quando você começa a determinar o que você quer que as pessoas vejam de você.


Ok, mas como atrair as pessoas para que elas percebam que você tem autoridade em alguma área? Não existe uma resposta única para esta pergunta. Mas tenho uma dica de ouro que é um pouco complexa, meio contraditória, mas que faz total sentido, leia com atenção.


Você precisa entregar algo de valor, de graça, para o público que está te assistindo. Fazendo isso, você vai gerar na cabeça dele uma impressão de que você é uma autoridade no assunto que está falando ou no produto que está vendendo além de gerar também o gatilho da reciprocidade. Quando você gera esse senso de autoridade geral nas pessoas, elas começam a te ver como uma pessoa que pode solucionar alguns problemas e começam a te recomendar, por conta da autoridade que você tem no assunto. A partir dessa autoridade vêm as propostas de serviço, empregos, contratos e inúmeras outras. Um exemplo clássico que o Érico Rocha dá é o seguinte: Sempre que você vai comprar um queijo artesanal, o vendedor corta um pedacinho e dá na sua boca para que você prove o sabor. Você experimenta um pequeno pedaço e se gostar, compra e leva pra casa o queijo inteiro.

Você pode fazer o mesmo, dar pequenas amostras do seu conteúdo para o seu público para depois vender o produto completo ou esperar as propostas começarem a chegar. Você só vai conseguir isso, se o conteúdo for bom e se gerar autoridade.


6- EVENTOS PAGOS

Quando você tiver um público consistente, você pode promover um evento e cobrar por ele. É o que grande parte das autoridades digitais fazem. Conforme você for crescendo, vai conseguir fazer eventos e cobrar por eles, você pode começar no seu bairro mesmo, um evento pequeno com valor acessível. Daí você vai crescendo aos poucos. Não esqueça de filmar e fotografar os seus eventos para gerar autoridade no futuro. Isso é muito importante.


7- USANDO VÍDEOS PARA CROWDFUNDING (VAQUINHA ON-LINE)

Você tem um projeto top, mas tá sem grana para começar?

Você pode criar um vídeo chamativo, com todas as táticas que você já viu aqui.

Poste seu conteúdo numa das diversas plataformas de crowdfunding e compartilhe no seu Facebook para alcançar mais pessoas.

Um dos grandes exemplos de crowdfunding no Brasil é o Marcos Castro, ele conseguiu construir um jogo para computador de mais de 300.000 reais só com vaquinha na internet. Como ele fez isso?

Ele criou um vídeo animado que viralizou, contando a história de um herói de vídeo game. Depois ele chamou o público dele para fazer aquele vídeo virar um jogo de verdade. A galera foi lá e doou dinheiro. Alguns meses depois o jogo saiu e está à venda. Tudo isso porque antes ele construiu um conteúdo de relevância, construiu uma audiência, e teve uma estratégia para fazer um crowdfunding de sucesso.

Você também pode construir o seu crowdfunding, mas cuidado, dinheiro das pessoas é coisa séria. Só se comprometa em fazer crowdfunding se você tiver a capacidade de entregar o produto final.


8- PRODUZA PARA TERCEIROS

Assim que você começar a ter um acesso maior, uma frequência de gravação maior, um convívio maior com a câmera, com o áudio, com as técnicas de iluminação, você vai acabar adquirindo as manhas da produção de conteúdo audiovisual. Você vai ficar cada vez melhor e mais rápido nas técnicas que você se dedicar mais.

Essa é a hora de usar sua expertise para produzir conteúdo de vídeo para outras pessoas, cobrando por isso. Se você já entende um pouco mais do que a pessoa que te procurou para fazer o vídeo, mas ainda não se sente seguro de tomar a responsabilidade de produzir o vídeo para terceiros, seja sincero com as pessoas que desejam te contratar, diga quais são seus pontos fortes e fracos na produção de conteúdo e seja justo na hora de precificar o orçamento do seu serviço.

Se a pessoa que quer te contratar aceitar as suas condições, vá fundo. A partir do momento em que você for se profissionalizando, sua qualidade vai aumentar, o seu preço também vai, a equipe vai crescer e você pode terminar montando uma agência de conteúdo. Produzir vídeos para outras pessoas também é uma boa para ganhar dinheiro.


9- FREELANCER

Uma nova maneira de ganhar dinheiro com vídeo é sendo freelancer de projetos diversos. Você coloca o seu currículo nesses sites de frelancers (Workana, UpWork, Get Ninjas, 99freelas, Fiverr), lá existem empresas e pessoas querendo freelancers para fazer serviços, principalmente relacionado a produção de conteúdo auidovisual.

É uma ótima maneira de fazer dinheiro com suas habilidades de produção de vídeo, pegando o serviço e cobrando o seu preço para complementar a sua renda.


10- MONTE SEU CURSO ON-LINE

Essa aqui muita gente tem feito, mas pouca gente tem acertado, que é montar o seu curso on-line. Tenho visto muitos cursos on-line mal gravados, mal-editados, sem conteúdo. Esse é um mercado que pode saturar em breve, por conta disso.

Se você quiser fazer um dinheiro colocando o seu curso no ar, vá fundo, mas grave corretamente, tenha atenção ao áudio e a qualidade da imagem que você vai passar, produza um conteúdo interessante, diferenciado, se esforce alguns meses para fazer um conteúdo fácil de digerir, pense na pessoa que vai comprar, que quer um curso de qualidade.

Se você quiser fazer um dinheiro colocando o seu curso no ar, vá fundo, mas grave corretamente, tenha atenção ao áudio e a qualidade da imagem que você vai passar, produza um conteúdo interessante, diferenciado, se esforce alguns meses para fazer um conteúdo fácil de digerir, pense na pessoa que vai comprar, que quer um curso de qualidade.


11- CURSO ON-LINE COM UM SÓCIO

Seja sócio de alguém que vai montar um curso on-line. Por exemplo, se você não tem o dom de ensinar, você não sabe dar aula ou não tem paciência pra fazer isso, mas conhece uma pessoa que tem um conteúdo muito bom e que também tem interesse em gravar o conteúdo do curso. Tente formar uma sociedade com esta pessoa, faça o curso junto com ela, grave o conteúdo dela, edite, divulguem, quebrem a cabeça juntos. Se o conteúdo de vocês for bom, provavelmente vai vender e vocês vão fazer um dinheirinho com conteúdo de vídeo também.


12- GOOGLE ADS

Sabe quando você está vendo um vídeo no YouTube e, de repente, aparece uma propaganda? Então, toda vez que aparece uma propaganda no seu vídeo, você ganha um dinheiro, mas é tão pouco que canais pequenos (com poucas visualizações) não conseguem sobreviver com isso. É difícil ganhar dinheiro do Google ads, a não ser que você seja um fenômeno e que, a cada vídeo que você poste, faça alguns milhares ou milhões de visualizações. Se você não for um fenômeno, é difícil, não se iluda!

Mas se um dia você se tornar um criador de conteúdo top, essa será uma ótima fonte de renda.


13- CONSULTORIAS, WEBNARIOS E LIVES

A ideia é simples:

Você é expert em um assunto; Cria relevância, audiência e autoridade nas redes sociais; Anuncia seu serviço de consultoria, por exemplo; Chama os clientes para uma call de vídeo; E cobra por hora ou por aula.

Eu tenho um amigo que é professor de inglês por Skype, ele faz dinheiro com isso. Ele adquire alunos pelo Instagram, Facebook, com vídeos e anúncios patrocinados.

Os alunos chegam para ele através do Skype e pagam a hora para conversar em inglês, para ter aula de conversação. Isso também é uma boa, dá para fazer dinheiro assim também.


14- INFORMAÇÃO LOCAL

Trabalhando para um veículo de informação local ou criando um veículo de informação local.

Com o avanço da tecnologia, hoje cada um tem uma câmera na mão, nem que seja de um celular. Você pode ser um repórter da sua cidade e começar a fazer dinheiro com isso. Existem pessoas que estão fazendo dinheiro assim. Não só pra notícias trágicas, mas também para incentivar as coisas boas que acontecem na sua cidade. Se você fizer isso, pode ser que o próprio comércio local te procure pra colocar propaganda dele lá e assim você pode começar a ganhar dinheiro, além de também promover algum evento, alguma ação da prefeitura, algum edital, licitação, que você também pode participar, como veículo de comunicação. Se você acha que tem o dom e quer fazer a diferença na sua localidade, produza notícias locais que você pode fazer dinheiro.


15- MOTION GRAPHICS

Motion Graphics são os vídeos em 3D, animados, que demandam um pouco mais de conhecimento para fazer dinheiro. Quem entende muito disso no Brasil é o Beiço. Você acessa o “Vida de Motion” e tem lá o curso de Motion Graphics. Se você tiver tempo disponível para adquirir conhecimento, se for bom, se for um artista e dominar a ferramenta do computador, é uma ótima! Existe uma certa escassez deste tipo de profissional de Motion Graphics no Brasil, por enquanto. A galera que se dedica está tirando um bom dinheiro com isso.


16- STOCK

Stock são bibliotecas onde as pessoas pagam para ter vídeos e fotos prontas para usar em suas produções. Algumas bibliotecas que eu uso: istock, envato elements, adobe stock , shutter stock, entre outras.

Exemplo prático: Imagine que você está na sua cidade e que tem um ponto turístico bonito lá, você então filma com qualidade e coloca a venda em uma dessas bibliotecas. Enquanto isso, alguém do outro lado do mundo tem uma agência de viagem e quer levar clientes para a sua cidade. Acontece que essa agência não tem fotos nem vídeos interessantes deste ponto turístico para conseguir vender os pacotes de viagens.

Daí então, essa agência começa a buscar na internet por imagens do local e percebe que você está vendendo um vídeo chamativo com vários takes dos pontos turísticos da cidade. Com certeza a agência vai pagar pelo seu vídeo. É renda infinita! (hehehe).

Você filma uma só vez, posta na biblioteca e espera o dinheiro vir. O ponto turístico foi só um exemplo, na verdade, você pode filmar qualquer coisa que possa vender nessas bibliotecas, coisas que as pessoas procuram. Coloque lá! Quem sabe você não começa a tirar uma grana por este caminho?


17- SITES, APPS, BLOGS E VÍDEOS

Outra forma de fazer dinheiro também é pensar um pouco fora da caixa.

A tendência é fazer vídeo para YouTube, Facebook e Instagram. Mas pense: E se você tivesse um aplicativo, um site, um blog, onde pudesse posta os seus vídeos e conteúdos e não postasse nas outras redes sociais? Esse movimento de pessoas que não têm postado coisas nas redes sociais, mantendo as coisas apenas nas mídias próprias deles, tem ganhado força porque o YouTube toda hora inventa uma regra diferente, pode isso, não pode aquilo. O Facebook, às vezes, bloqueia um vídeo, não bloqueia outro. Então, para as pessoas não ficarem dependendo de YouTube e de Facebook, elas criam seus próprios sites (ou blogs, ou aplicativos), onde postam o que querem, na hora que querem, e sobrevivem das propagandas que as patrocinam. Talvez isso possa se encaixar para você. Faça vídeos para fora da caixa, faça vídeos para fora do YouTube, mantenha o seu site pessoal, mantenha a sua audiência nesse lugar.

A vantagem disso é que, toda vez que o seu público quiser te ver, ele vai te procurar no mesmo lugar. Você vai concentrar seu público no lugar de sempre.

É trabalhoso, o marketing é difícil, é difícil trazer as pessoas, fazer as pessoas te encontrarem, a não ser que você tenha uma grande audiência. Existem canais como o Não Salvo e o Charge.com, por exemplo, que demoraram para migrar seus conteúdos para o YouTube. Só migraram quando perceberam que estava caindo o acesso, eles tiveram que ir pra outra plataforma, em busca de gente nova para o site deles. Pode ser que esse movimento inverta a qualquer hora. Se isso acontecer, você já estará preparado.


18- PRODUCT PLACEMENT

Quando o produto do seu anunciante aparece no vídeo e você não fala sobre ele, mas o usa, demonstra interesse pelo produto, a sua audiência percebe claramente que o produto é importante para você. Isso é considerado como uma propaganda product placement. Algumas novelas da Globo têm feito isso. Uma propaganda de product placement recente que eu vi foi do Yakult, aquela marca de leite fermentado que antigamente só as crianças bebiam, mas que agora quer atingir o público adulto e idoso. Eles fizeram Yakult para criança, adulto e idoso. Agora estão colocando isso na novela da Globo. Na propaganda, o Yakult estava em cima da mesa numa cena de café da manhã. Os personagens não falavam sobre o Yakult em si, mas de maneira sutil, naturalmente, eles tomavam a bebida, enquanto conversavam sobre o desenrolar da trama da novela. Isso é um exemplo de product placement. Pode ser que as marcas te procurem para fazer product placement. Porta dos Fundos faz isso muito bem no YouTube.


19- VÍDEOS PARA OFFLINE

Se você montar um vídeo curto sobre a sua biografia, e passar esse vídeo antes de uma palestra sua. Isso vai trazer muito mais autoridade para a sua palestra, vai aumentar a percepção de valor dela. Perceba como os vídeos podem ser aplicados fora da internet, isso vai te abrir muitas possibilidades.


20- PRODUCT PROMO

São os vídeos onde você promove produtos. Existem alguns formatos de vídeos com product promo em que o criador do vídeo não precisa aparecer, tem vídeos que você não precisa nem ligar a câmera pra fazer e é inacreditável o quão poderoso pode ser esse modelo de vídeo. Vamos ao exemplo: Imagine que eu tenho uma sorveteria e preciso vender meu sorvete. Então eu faço um vídeo apenas do sorvete, deixando ele bem apetitoso, insiro algumas animações com a descrição do sabor do sorvete e no final convido as pessoas para conhecer a minha sorveteria. Este é um vídeo product promo total. Um vídeo sem pessoas, sem falas, sem roteiro mirabolante, mas que vende um produto. Os vídeos de produtos geralmente são curtos e o produto é o protagonista. Funcionam muito bem quando você mostra o produto de um jeito atraente.

brasil, rj

. barra da tijuca
. zona sul
. niterói
. região serrana

email

contato@politof.com

 

whatsapp

+55 21 99843-2089

politof publicidade ltda
23.430.198/0001-49

outros canais

  • Linkedin Politof