COMO FAZER UM ROTEIRO ATRAENTE

Existe um elemento do vídeo muito importante e que muita gente não dá valor, que se chama roteiro. O roteiro é a sua base, é o caminho a seguir, o que você vai falar primeiro, o desenrolar do seu conteúdo e a conclusão.

O roteiro é sempre o primeiro lugar que você deve recorrer para entender os motivos pelos quais o seu vídeo obteve sucesso ou não.

Tudo bem usar o improviso às vezes, principalmente quando temos segurança naquilo que estamos fazendo, mas é sempre bom ter um roteiro básico para ser seguido.

Sabendo disso, eu preparei alguns conselhos para você fazer ótimos roteiros que atraiam mais as pessoas:


Planejamento, a palavra mais falada desse ebook.

Infelizmente, você tem que planejar o roteiro, porque existem diversos tipos de roteiro para diversos tipos de produção. Se a sua produção for hollywoodiana, você tem que usar um roteiro supercomplexo: a câmera 1 entra aqui, a câmera 2 entra lá, um drone vai filmar aqui, o ator tal fala isso, fala aquilo... O Porta dos Fundos deve fazer um roteiro desse tipo, porque eles usam muitas câmeras, muita iluminação, deve ter um roteiro para cada especialidade, um para o ator, um para o iluminador, um para o câmera, outro para especialista de áudio.

Enfim, este é um tipo de roteiro mais complexo. Mas nosso foco agora não é trabalhar com produções complexas demais, eu quero falar dos roteiros mais simples possíveis, para que você consiga fazer suas produções com o mínimo de pessoas envolvidas possível.


Antes de planejar a estrutura do seu roteiro e saber qual será aplicada, você tem que fazer algumas perguntas para si mesmo e para o seu projeto e essas perguntas devem ser respondidas.


As perguntas são:

Para quê, Para quem, Onde e Como.


Vamos lá!

Vamos supor que você é um professor de inglês e quer ensinar as suas táticas para quem quer aprender inglês pelas redes sociais ou por algum outro lugar.

Vamos aplicar as perguntas:

. Para quê? Qual é o seu objetivo?

O objetivo é ajudar as pessoas que querem passar na matéria de inglês no ENEM.

. Para quem é direcionado o seu conteúdo?

Adolescentes e adultos que vão fazer o Enem, que querem ingressar na faculdade.

. Onde você vai postar?

Vou postar no meu Instagram, Facebook e no meu YouTube.

. Como vou postar?

No YouTube, eu vou fazer vídeos de 3 a 10 minutos, explicando detalhadamente a língua inglesa. No Instagram vou fazer vídeos de 30 segundos no feed e alguns stories, dando dicas rápidas de inglês e divulgando minhas aulas completas no Youtube. E no Facebook vou fazer algo mais interativo, vou fazer umas lives com a galera. Tendo essas perguntas respondidas é necessário decidir as estratégias de roteiro do seu vídeo:


PRIMEIROS SEGUNDOS

Sabemos que nossas redes sociais todo dia tem coisa nova, isso dificulta capturar a atenção da pessoa para você, para o que você está falando. Então, nos primeiros segundos, você tem que mostrar um visual fantástico de vídeo, com qualidade de câmera, alguma coisa que ninguém fez ou uma headline que chame a atenção, um b-roll bem chamativo que tenha a ver com o assunto, ou até mesmo você fazendo alguma coisa que chame atenção.

Nos primeiros segundos, talvez a pessoa não esteja nem com o áudio ligado, então é importante ter legenda em alguns casos.

Os primeiros 15 segundos são os mais importantes para você se destacar, para você fazer com que a pessoa pare pra te ver até o final. Se no meio do vídeo estiver chato, ela vai passar, não vai querer te ver mais.


O UM POUCO DO MELHOR NO INÍCIO

Se você, por exemplo, é um biólogo marinho: “Que tal ver uma reserva marinha de tartarugas? Estou aqui e vou mostrar pra você como é a vida delas, onde nascem...” Essa é uma maneira de criar vídeos que causem impacto, já mostrando imagens de b-rolls nos primeiros segundos.

Vídeos de receita é outro exemplo bom, geralmente eles mostram o resultado final no início do vídeo.

Por exemplo, numa receita de um misto quente, para capturar sua atenção, primeiro eles mostram um misto lindo, com o queijo escorrendo, e só depois vêm com a receita. E no final pedem para você se inscrever ou comprar o curso de chef de culinária do canal. É assim que se captura a atenção da pessoa: sempre com imagens impactantes ou com você no centro da atenção o tempo todo, mas as imagens têm que falar, imagens estáticas são muito difíceis de impressionar. Imagem parada é uma das piores para conseguir visualização da internet. As pessoas querem ver imagem impactante primeiro para depois te conhecer.


O TOM DO SEU VÍDEO

Adequar o tom da sua fala/voz para o vídeo é extremamente importante.

Exemplo, em meu curso gravado, eu tenho falado algumas gírias, mas faço isso para não me manter muito sério. Se eu fosse sério o tempo todo, talvez não tivesse conversando com o público que eu quero conversar. O senso de humor, a energia na hora de falar, o brilho no olho de querer ver você do outro lado ou ver o seu aluno aprender faz toda a diferença.

É importante adequar o tom do seu roteiro para saber se o seu público está gostando ou não. Como você vai saber se precisa adequar o tom ou não? Praticando!

Só escrevendo roteiros e os experimentando que você vai encontrar o roteiro ideal para você. Quando você enfim acertar o tom, o resultado virá automaticamente.

Qual é o resultado? Mais compartilhamento, mais gente curtindo, mais gente chamando inbox, propostas surgindo e por aí vai.


SEM TEMPO, IRMÃO

Tem gente que fica agarrado no planejamento e esquece de desenvolver, de escrever. Eu sei que é chato escrever roteiro, mas mais chato ainda é você ir para a frente de uma câmera sem roteiro nenhum e não ter o que falar. Você já viu aqueles filmes que não têm pé nem cabeça, não têm início, meio e fim, meio esquisito, sem roteiro ou com um roteiro muito simples? São filmes com roteiros, são vídeos com roteiros, mas, infelizmente, os roteiristas não são bons. Talvez você não seja um roteirista muito bom, talvez tenha dificuldade em escrever roteiros e aí é interessante você investir em roteiristas, em redatores. Se você tiver um dinheirinho, contrate um redator/roteirista. Se não tiver, invista na sua capacidade de leitura, aumente o seu vocabulário, veja filmes interessantes, que vão contribuir com o seu intelecto, com o seu conhecimento, com a sua capacidade de pensar.

A gente só perde o medo de escrever escrevendo,

trazendo mais cultura para dentro de si, mais conhecimento. Dessa forma, seu texto vai sair cada vez melhor. Na internet, você pode encontrar inúmeros softwares e cursos de roteirização.


NÃO SUBESTIME OS B-ROLLS

Além de ser um ótimo elemento para puxar a atenção do público, eles ainda economizam em muito o seu tempo quando eles estão roteirizados previamente. Exemplo, se roteirizou o momento em que entra um Broll, você não precisa ficar atuando para a câmera, simplesmente leia o roteiro. Saber a hora que vai entrar um b-roll é essencial porque você ganha tempo. Só de você não ter que ficar fazendo expressão para ficar bem na frente da câmera, você relaxa, erra menos e já ganha tempo.


STORY TELLING

Quando você conta uma história que tem início, meio e fim, um arco narrativo, isso chama a atenção das pessoas para o seu conteúdo. Se você puder contar uma história em que o roteiro seja real, as pessoas tendem a gostar mais do seu vídeo. Toda vez que você puder puxar para a história da sua vida real ou alguma história que você conhece - ou fictícia, inventada -, faça isso porque atrai muitas pessoas.


T.P

Um acessório que salva muita gente na hora de gravar é o teleprompter. Eu recomendo que você não se prenda ao que escreveu, que dê algumas improvisadas, faça alguma coisa do seu jeito, para ser mais original.


ROTEIRO PLANEJADO PARA A SUA CTA

Se a sua CTA - Call to Action - for pra compartilhar o vídeo, então você tem que fazer um vídeo altamente compartilhado, com recursos de vídeo, com gatilhos mentais. No final, você pode pedir pra galera compartilhar. A pessoa pode te ouvir ou, muito raramente, não. Ela só vai compartilhar o vídeo se sentir vontade, se gostar, se achar relevante pra ela e para seus amigos, e não porque você está pedindo.

Um atrativo é você dar uma recompensa para quem deixar o like embaixo. Conseguindo likes, pode fazer a parte 2 do vídeo. Ultimamente, tenho visto canais usando esse recurso de dar recompensa em troca do like, uma recompensa legal, de acordo com a lei.

Você pode oferecer um e-book para todas as pessoas que deixaram o e-mail ali, se atingir tantos mil likes, por exemplo.

Se a sua call to action for comentário, tem que fazer um vídeo que gere comentário, polêmica, opiniões fortes, gerando, assim, comentários, porque nem sempre as pessoas têm a mesma opinião que você. O seu roteiro deve ser todo formatado para o público que você quer atingir, mas também deve ser pensado para o objetivo da call to action. O objetivo é qual? É você pegar o e-mail da pessoa e ganhar curtida dela, compartilhamento? O roteiro pode, sim, ser formado para uma call to action específica.

FEEDBACK GERA ROTEIRO

Quando você fizer um roteiro ruim, a galera vai falar que o seu vídeo está péssimo. Quando você fizer um roteiro bom, a galera vai te elogiar.

Agora, se a maioria falar coisa ruim do seu vídeo, significa que você deve ouvir o feedback, ouvir o que estão dizendo - os feedbacks, as críticas - e melhorar o roteiro. Ouvir o feedback é muito bom para você fazer um roteiro de sucesso.

Espero que você tenha aprendido e que eu tenha esclarecido algumas dúvidas suas com relação a roteiro. Continue estudando e se aperfeiçoando sempre nas estratégias de roteiro porque o roteiro é uma peça de suma importância na hora de construir um vídeo de qualidade.

brasil, rj

. barra da tijuca
. zona sul
. niterói
. região serrana

email

contato@politof.com

 

whatsapp

+55 21 99843-2089

politof publicidade ltda
23.430.198/0001-49

outros canais

  • Linkedin Politof